Os Pesos-Provérbios

Os pesos para pesar ouro

 

     Os pesos da tribo Akan para pesar o ouro são pequenas figurinhas de bronze, latão, cobre, prata ou mesmo ouro, usadas para estimar os valores ponderais das diferentes quantidades de pó de ouro (moeda de câmbio) trocadas nas transações comerciais.
     Estes pesos figurativos reproduzem fielmente a imagem dos principais elementos do universo sociocultural e meio-ambiental: elementos da fauna, da flora, os humanos de todas as condições sociais nas suas atividades do dia-a-dia e, enfim, os elementos do mundo mineral.
     Estes pesos são também chamados de pesos-provérbios. Vários símbolos, máximas provérbios podem ser relacionados com uma mesma figurinha. Existem dezenas de figurinhas e, consequentemente, centenas de provérbios.
      Eis cinco exemplos, com o provérbio em francês, uma tentativa de tradução em português, e uma explicação do professor universitário e etnógrafo marfinense Georges Niangoran-Bouah, da Universidade de Abidjan:
     

1. O peixe-serra. “Quand le poisson-scie coupe un autre poisson en deux, il n´emporte que la partie caudale”.

      Tradução: Quando o peixe-serra corta um outro peixe em dois, ele só leva a parte caudal.
      Explicação: o importante é a marca ou o signo distintivo de alguém ou de alguma coisa.

      (Esta figura serve de efígie a uma moeda corrente do Banco Central dos Estados da África do Oeste).

     2. O crocodilo. “Le morceau de bois qui séjourne dans l´eau ne devient jamais un grand crocodile”.
Tradução: Um pedaço de madeira, mesmo ficando por muito tempo na água, nunca vira um grande jacaré.

Explicação: Um adulto que mora por muito tempo no exterior deve guardar os costumes de vida de sua raça, sua etnia e seu país.

     3.O sapo. “C´est après as mort que l´on voit la taille du crapaud”.

Tradução: É após sua morte que se vê o tamanho do sapo.
Explicação: É nas horas difíceis ou incomodas que se aprecia o valore real de um indivíduo.

 

     4. A tartaruga. “L´enfant qui joue avec la queue de la tortue se fait toujours pincer les doigts”.

Tradução: A criança que brinca com o rabo da tartaruga sempre vai ter seus dedos beliscados.

Explicação: Quando a tartaruga deixa seu rabo a mostra, é que ela quer fazer o mal.

     5. O búfalo. “Je suis frère jumeau du boeuf; pour nous distinguer, les parents ont applati mes cornes”.

Tradução: “Sou irmão gêmeo do boi; para nos diferenciar, nossos pais achataram meus chifres.
Explicação: Não tem, no mundo, dois indivíduos iguais !

 

Voltar